Sargaço Nightclub, do nome à música

Em 1991, o movimento Manguebeat misturou elementos da cultura regional de Pernambuco e marcaram a história. Este título foi inspiração para os musicistas Marcelo Rêgo e Sofia França criarem o nome Sargaço Nightclub, a junção do “Sargaço“, no sotaque recifense, com o ambiente convidativo “clube noturno” (Nightclub). E é assim que a dupla vem escrevendo a trajetória, junto a elementos regionais e muita música boa.

Seu estilo é o rock, mas eles também possuem outras influencias rítmicas como o dreampop, post-punk revival, folk indie e mpb. Em janeiro de 2018 lançaram o primeiro EP gravado “Sargaço Nightclub”, com o título da banda, repleto de composições do Marcelo, Sofia e o antigo integrante Theo Araújo. Já esta disponível em todas as plataformas digitais.

Em Junho de 2018, a Sargaço Nightclub surpreenderam-nos com o vídeo Aquarius gravado em Boa Viagem (PE).

Conheça mais sobre a Sargaço Nightclub

O nome escolhido por eles, a princípio, nos chamou atenção. Então, Marcelo Rêgo nos contou que nem sempre foi assim, a banda era chamada de Medialuna. O fato dos integrantes gostarem do nome antigo, estava ligado a expressão do gênero feminino que era uma palavra popularmente cultural e completamente ligada a América latina, isto deixou a escolha mais firme.

… mas com muita dó, tivemos que abandonar o nome por virmos a saber rapidamente que já existem várias bandas como o mesmo nome. Veio então a cruzada em busca de um novo nome (…) Vários brainstorms e surgiu essa combinação louca de um nome que também remetia à noite (“Night” club), de origem internacional (linkando às influências musicais gringas) e com essa conotação de agrupamento (Night”club”), com outro ligado ao mar (tema recorrente em nossas músicas), de sonoridade muito familiar ao recifense (quem desde criança, em Recife, não aprende o que é “sargaço”?) e que simbolizasse nossa influências musicais nacionais…

Surgiu assim o NIGHTCLUB (com a imagem irônica da “degradação” da sociedade Hellcifense, um ambiente constituído pela atmosfera das nossas músicas) chamado SARGAÇO, um trocadilho que, em algum momento foi feito com o nome do “Manguebeat”.

Há quanto tempo vocês estão na ativa?

O projeto musical começou no segundo semestre de 2016. Na verdade, o Sargaço Nightclub é um duo formado por mim (Marcelo Rêgo) e Sofia França (minha esposa) e músicos contratados. Somos casados há quatro anos e, como somos músicos, a ideia de nos juntarmos sempre nos rondou… ao mesmo tempo que íamos amadurecendo.

No primeiro semestre de 2016, eu estava encerrando um outro projeto musical autoral no qual era baixista. Juntando o baterista deste projeto e o Theo Araújo (nosso primeiro guitarrista e autor de 02 músicas do nosso repertório), formamos o núcleo inicial do Sargaço Nightclub (que nesta época ainda se chamava “Medialuna”) e foi aí que tudo começou oficialmente pra nós.

Em qual gênero musical vocês se classificam?

O projeto é fundamentalmente de rock. Nos apresentamos como sendo um duo eletroacústico de Dreampop, Post-Punk Revival e Folk Indie.

Quais são suas influências e inspirações? 

Artistas como High Highs, Wild Nothing, The National, Tame Impala e Kings of Convenience são fortes influencias nossas. Como dito anteriormente, o próprio nome foi criado fazendo referências tanto à música internacional quanto à nacional que nos influencia (Rock Brasil, MPB e em especial os movimentos nordestinos, como o Pessoal do Ceará e a Psicodelia Pernambucana). Nosso repertório predominantemente autoral, conta hoje em dia com 2 versões: Barcarola do São Francisco de Geraldo Azevedo e Rubi de Alceu Valença.

Quem compõe as músicas da banda?

Este projeto surgiu com um intuito de não apenas dar vazão às nossas composições, mas também tocarmos músicas geniais de amigos e parceiros muito próximos a nós e que ainda não têm projeção nas mídias. É o caso que já citamos do Theo Araújo, autor de 02 músicas do nosso repertório, umas das quais está disponível nas nossas plataformas digitais (a música “Antúrio Branco”).

A maior parte das músicas, por ora, são minhas (Marcelo Rêgo), mas algumas são novas (como por exemplo, “Aquarius”, música do nosso primeiro clip, lançado no mês passado) e outras já são bem antigas (como o caso de “Alguma Despedida”, também disponível online, que já tem cerca de 15 anos).

Sofia teve recentemente lançada a sua primeira contribuição para o Sargaço Nightclub, a música “Nunca Mais”, que teve clip lançado neste mês de Julho, numa parceria com o pessoal supercompetente do Canal Aquela Canção.

Sabemos que a rotina de uma banda independente não é fácil. Existem muitos fatores que, às vezes, impedem o artista de continuar o trabalho musical. Houveram momentos em que vocês pensaram em desistir? O que serve de motivação para continuarem com o trabalho?

Bom, na realidade, Sofia e eu não temos a música como atividade principal, ao menos ainda não! (risos). Sofia é dentista e eu (Marcelo Rêgo) sou arquiteto. Nossas histórias com a música são de idas e vindas justamente por esta dificuldade de se estabelecer como artistas autorais. Nestes quase 2 anos, os momentos mais difíceis que passamos foram justamente aqueles em que tivemos que lidar com a entrada e saída constante de integrantes em nossa formação.

Por isso que em dado momento resolvemos centrar o Sargaço Nightclub em somente nós dois, um duo, e trabalhamos com músicos convidados e, as vezes, contratados (sim, pagamos ajudas de custo e cachês como incentivo para manter uma certa estabilidade com os músicos que nos acompanham). Mas, por outro lado, o trabalho compositivo é o que mais instiga, o instinto criativo é o que faz a gente seguir em frente.

Olhar pra trás e ver todas as nossas idas e vindas com a música (por mais que tenhamos nos afastados, ela sempre veio de volta!) nos faz crer que este é o momento de não mais desistir, e sim, resistir!

Acompanhe a Sargaço Nightclub nas plataformas digitais:

Spotify

Deezer

GooglePlay

SoundCloud

YouTube

Redes sociais:

Facebook

Instagram

Deixe seu comentário